Financiamentos imobiliários batem recorde com alta de 39,8% no ano

Financiamentos imobiliários batem recorde com alta de 39,8% no ano

Em um cenário de crise como o atual, o descasamento dos índices agrava o quadro do mercado, com maior dificuldade de repasse de preços e consequente impacto sobre alguns fundos imobiliários. É possível, contudo, proteger o portfólio e até ganhar com a valorização do IGP-M.

Em relatório, Renan Manda, head de análise de fundos imobiliários da XP, assinala que FIIs com ativos bem localizados, maior exposição a empresas sólidas e a contratos atípicos, isto é, com prazos mais longos e sem revisionais até o prazo final, podem se beneficiar desse cenário.

A avaliação funciona tanto para fundos de lajes corporativas bem localizadas quanto de galpões logísticos. É o caso dos fundos de escritórios VBI Prime Properties (PVBI11) e de logística XP Log (XPLG11), que possuem, respectivamente, 100% e 40% do portfólio exposto ao IGP-M.

Segundo Manda, o PVBI possui dois ativos de alta qualidade e localização (Faria Lima e Av. Brigadeiro Luiz Antônio), que estão locados para companhias de grande porte, com robustez financeira para suportar eventuais aumentos de aluguel.

Já o XPLG tem inquilinos como Leroy Merlin, Lojas Renner e Grupo Pão de Açúcar, que também sustentariam um eventual repasse da inflação.

Compartilhar: